skip to Main Content

CDL-BG alerta para incidência de golpes do ‘falso boleto’

Cuidados devem ser redobrados para que prejuízos aos estabelecimentos sejam evitados

Com a potencialização dos meios digitais para efetuar compras e pagamentos, uma prática fraudulenta está crescendo e exigindo cuidados redobrados na hora da quitação de débitos: o golpe do falso boleto. A fraude consiste em emitir guias bem semelhantes ao de empresas já reconhecidas no mercado – seja de telefonia, internet, e-commerce ou outros segmentos. Quando quitadas, o valor vai para a conta do golpista, em vez de contabilizar o pagamento pelo serviço/produto em questão. Por isso, a Câmara de Dirigentes Lojistas de Bento Gonçalves alerta seus associados para que atentem ao receberem suas contas mensais – evitando prejuízos aos estabelecimentos.

Os estelionatários obtêm informações a partir de pesquisas feitas em sites, buscando enviar as falsas cobranças de interesse do usuário via e-mail. Ao quitar a conta, o dinheiro cai diretamente nas mãos dos golpistas. Diante disso, uma dica bem importante é conferir se o banco e as demais informações que constam no boleto coincidem com as que aparecem na tela de pagamento.

Além disso, é indicado verificar o código de barras, pois, em um boleto verdadeiro, os números do código aparecem na região superior e inferior de forma igual e os três primeiros dígitos da sequência correspondem ao código do banco no qual emitiu o boleto – esse é um primeiro indicador. Outro ponto é sempre se certificar sobre a origem do boleto. Muitos golpistas o enviam por e-mail, SMS ou WhatsApp ao invés de usar canais oficiais, ou seja, é preferível emitir o documento através do site oficial da empresa. Erros de português e de informações também são bem comuns em boletos falsos – bem como os dados do beneficiário.

“Precisamos ficar atentos atodas as formas de golpes existentes nos dias atuais. Cada vez mais esses boletos se assemelham com os verdadeiros, dificultando a identificação. Porém, é importante sempre verificar todos os dados para que o ônus seja evitado ao máximo”, reforça o presidente da CDL-BG, Marcos Carbone.

Caso o golpe seja identificado, entre em contato com a delegacia da cidade para denunciar a fraude.

.

Back To Top