skip to Main Content

Levantamento feito pela CDL-BG mostrou que para 46% dos lojistas entrevistados vendas foram melhores do que no comparativo com o ano anterior

Levantamento feito pela CDL-BG mostrou que para 46% dos lojistas entrevistados vendas foram melhores do que no comparativo com o ano anterior

O desempenho das vendas naquela que é a data comemorativa mais relevante para o comércio – o Natal – não decepcionou. Apesar das previsões cautelosas para as projeções de vendas no período, fundamentadas pela onda de recessão econômica, uma pesquisa realizada pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Bento Gonçalves revelou que os negócios em 2016 foram melhores para 46% dos entrevistados, no comparativo com o mesmo período do ano anterior. As margens de crescimento são bastante variáveis – mas alguns lojistas chegaram a registrar índice positivo na casa dos 15%.

A consulta também mostrou que para 28% dos participantes da enquete as vendas foram iguais às registradas em 2015. Apenas para 15% dos lojistas ouvidos o desempenho foi pior neste ano. Outro dado relevante mencionado pelos entrevistados foi a procura por itens de menor valor na hora da compra, adequando o desejo de presentear às disponibilidades do orçamento neste Natal. “O consumidor não deixou de comprar. Prova disso é que para mais de 70% dos lojistas de Bento Gonçalves, entrevistados pela CDL, a crise não impactou negativamente nas vendas – ou seja, quem se preparou, conseguiu manter os índices de 2015 e, em muitos casos, até mesmo crescer. Esse dado comprova que quando há um trabalho de planejamento, com escolha de mix atrativo, condições diferenciadas de pagamento, promoções, preparação da loja e, principalmente, uma experiência de venda com atendimento qualificado, os negócios acontecem. Por isso a CDL trabalha de forma exaustiva na conscientização do varejo sobre a necessidade de investir em treinamentos, capacitações e outras formas de buscar a excelência no comércio – e coloca-se permanentemente na condição de aliada dos empreendedores diante desse desafio”, indica o presidente da CDL-BG, Marcos Carbone.

Dados da inadimplência: dívida recua na região Sul
Outra pesquisa – essa conduzida pelo Serviço de Proteção ao Crédito Brasil (SPC) – indicou que a inadimplência na Região Sul diminuiu: em outubro, houve queda de 2,48% na comparação com o ano passado, alcançando número de 8,3 milhões de pessoas negativadas. O Sul aparece como a terceira região com maior número absoluto de consumidores negativados no país, atrás do Nordeste, com 15,4 milhões e o Sudeste, com 24,6 milhões. O índice nacional registrou uma queda de 0,21% na comparação com 2015.

Os dados da queda da inadimplência aparecem como boa notícia para o varejo – considerados um fator importante para sustentar o crescimento das boas vendas – aquelas em que o lojista efetivamente recebe pelo produto comercializado.

Back To Top