skip to Main Content

Especialistas apontam varejo com propósito e uso da tecnologia como destaques da NRF 2022

Durante palestra na CDL Bento Gonçalves, na terça-feira (15), Marcos Carbone, Thiago Giaretta e Juliana Guterres apresentaram tendências e aprendizados obtidos durante a maior feira varejista do mundo

Embora pareçam realidades distantes, os conceitos formulados e identificados na outra ponta do continente americano podem, sim, ser aplicados no contexto local. Quem confirmou essa premissa foram os ministrantes da palestra ‘Pós NRF 2022’, realizada na noite de terça-feira (15) na sede da Câmara de Dirigentes Lojistas de Bento Gonçalves. O encontro detalhou as inovações apresentadas no maior evento varejista do mundo, a Retail Big Show, ocorrida no início de janeiro em Nova York.

A convite do presidente da CDL-BG e vice-presidente da Federação Varejista do Estado do Rio Grande do Sul, Marcos Carbone, dois empresários do comércio e representantes de entidades do setor, que também estiveram presentes na NRF desse ano, trouxeram importantes reflexões acerca de temas abordados no evento: Thiago Giaretta, empresário nos setores agro e pet, presidente da Exposição, Feiras e Eventos da Capital Nacional do Basalto e ex-presidente da CDL Nova Prata, e Juliana Guterres, gestora comercial e empresária no segmento de vestuário e vice-presidente da CDL Canoas.

No auditório de treinamentos da entidade, lojistas bento-gonçalvenses puderam entender dois conceitos que foram destaque da edição: o avanço da tecnologia (especialmente por meio do Metaverso) e a humanização dos negócios (abordando a importância do propósito dentro de uma equipe colaborativa). “Todas as tendências e inovações apresentadas pela NRF são aplicáveis e viáveis, e estão cada vez mais na nossa palma. Essa foi uma edição bem realista, discutindo temas como liderança, equidade, sustentabilidade e diferenças. São reflexões que podem ser usadas na prática”, resumiu Juliana.

Exemplo de reinvenção durante a pandemia em seu comércio de vestuário na cidade de Canoas, a empreendedora considera que o evento norte-americano deixou claro a necessidade de equalizar a excelência dos atendimentos físicos e virtuais. “A loja não é mais uma vitrine ou um lugar. O estabelecimento precisa ser ativo, tendo outros canais de venda que se equiparem com atendimento presencial. Nesse sentido, é preciso fazer com que a equipe entenda o propósito da empresa e atue com isso em mente”, pontua.

Dessa forma, a aproximação com o mercado e com o cliente é fundamental. “A principal meta é entender o que o consumidor espera de nós. Temos a vantagem de sermos pequenos, no sentido de estarmos próximos da comunidade e, por isso, conseguimos viver de propósitos”, reforça.

Além disso, Juliana lembra que o estabelecimento deve ser simples do balcão pra frente, ou seja, perante o cliente, e complexo do balcão para trás, no sentido de usar a tecnologia para mapear e potencializar estratégias internas. “Costumo dizer que todo o empresário precisa percorrer duas corridas: a maratona, observando tendências a longo prazo, e o tiro curto, despachando pendências diárias e coordenando equipes. Mas esse tiro curto pode ser melhor aproveitado com a ajuda da tecnologia”, destaca.

Inovações tecnológicas foram protagonistas

É impossível dissociar um evento realizado em um dos redutos mais modernos do mundo da tecnologia. Mesmo que muitas soluções ainda estejam fora da realidade local, democratizar o acesso às inovações tem sido uma constante presente na NRF. “Eu trouxe várias ideias, fáceis de aplicar e que são de baixo custo. É possível, sim, tornar realidade os insights do evento”, explicou o palestrante Giaretta.

Uma das principais novidades foi a Metaverso, terminologia utilizada para indicar um tipo de mundo virtual que tenta replicar a realidade através de dispositivos digitais. Nesse espaço coletivo e virtual compartilhado, um universo de possibilidades parece estar ao alcance de usuários e marcas. “Essa extensão da vida física para a realidade virtual traz facilidade e praticidade, mas também muitos desafios. É uma tecnologia pensada para as gerações futuras, que já estão inseridas nesse contexto, especialmente por meio dos games. Certamente vai causar a revolução que a internet provocou”, acredita.

Para aplicar no comércio local

Fazendo a ponte entre o que foi apresentado na NRF 2022 e a forma de aplicação no dia a dia dos lojistas de Bento Gonçalves, o presidente Carbone, que também esteve in loco em NY, agregou diversos exemplos presenciados lá para propor ideias e promover debates sobre possibilidades que podem ser absorvidas pelo varejo local. “A edição desse ano mostrou, de forma especial, que precisamos estar próximos dos clientes, ajudar a identificar os desejos de quem consome e encontra-los no momento em que desejam ser encontrados. Empoderamento e engajamento social são conceitos fundamentais”, enfatizou.

Lojistas acompanharam as novidades apresentadas na palestra Pós NRF 2022 – Crédito Alessandro Manzoni, Exata Comunicação
Back To Top